HOME USA 
EUA facilitam comércio e viagens a Cuba a partir de sexta-feira
  Edson Paim,    Quinta, 15 de Janeiro de 2015 - 18:15

Há 39 minutos
Obama e Castro prometeram reaproximação bilateral, após décadas de rompimento

Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira medidas para aliviar as limitações a viagens e ao comércio com Cuba, nos primeiros passos concretos para a reaproximação bilateral anunciada por Barack Obama e Raúl Castro em 17 de dezembro.

As novas regras entrarão em vigor nesta sexta-feira, segundo os departamentos de Tesouro e Comércio.

Americanos que se qualifiquem nas 12 categorias contempladas (por exemplo, visita a familiares, jornalistas, viagens para atividades acadêmicas, religiosas, esportivas ou de caráter humanitário) poderão viajar para Cuba sem a necessidade de uma licença especial do governo dos EUA.

Agências de viagens e companhias aéreas poderão oferecer passagens a Cuba sem que precisem requerer autorizações específicas.

Residentes dos EUA que viajem à ilha poderão usar cartões de crédito e levar de volta ao seu país até US$ 400 em mercadorias e US$ 100 em bebidas alcóolicas ou tabaco.

Parentes também serão autorizados a enviar mais dinheiro a seus familiares em Cuba: até US$ 2 mil a cada três meses, em vez dos US$ 500 permitidos atualmente.

Ainda assim, o embargo imposto pelos EUA permanece em vigor, e seu fim depende de decisão do Congresso americano.
Negócios

No entanto, provedores de telecomunicações e internet, assim como instituições financeiras, também poderão começar a fazer negócios com Havana.

Em 17 de dezembro, os líderes de Cuba e EUA fizeram um anúncio histórico de que buscariam reatar os laços comerciais e diplomáticos, rompidos desde 1961.

Leia mais: EUA-Cuba: Brasil tem 'ganho político', mas benefício econômico ainda é incerto

"Essas medidas terão um impacto direto em empoderar e atrair a população cubana, promovendo mudanças positivas aos cidadãos de Cuba", disse em comunicado o secretário americano do Tesouro, Jacob J. Lew.

"Os anúncios de hoje (quinta) nos deixam um passo mais perto de substituir políticas antiquadas que não funcionavam e colocar em vigor medidas que ajudem a promover liberdade política e econômica ao povo cubano."

Com as medidas, a Casa Branca visa tornar os cubanos menos dependentes do aparato e da economia estatais.

Mas críticos dizem que Washington está ganhando pouco em troca de Havana no que diz respeito a reformas democráticas.

O Departamento de Estado americano alega, porém, que Cuba libertou nesta semana 53 prisioneiros.

Na semana que vem, a secretária-assistente de Estado Roberta Jacobson vai lidar uma delegação americana em viagem a Havana, para discutir a abertura de embaixadas nos dois países.


     

 Fonte:GOOGLE NEWS

 Continue lendo matérias relacionadas a esta, clique aqui

   Publicidade:

 As Mais lidas
Quais os alimentos que contém carnosina? (Alexandrie Lasserre)
Corpo de Itamar Franco é cremado em Minas Gerais
Comida certa aumenta a capacidade de raciocínio, aprendizado e memória
Casos de dengue dobram em janeiro e Rio entra em alerta
A Guavira - Tradição do Cerrado Sul-Mato-Grossense

 Notícias Golspel
Isso Que é Viver - Renan Freixes (Hillsong Y&F - This Is Living) Cover
Natal ou Dia de Natal (Wikepédia)
‘Rolava tudo’, diz Thalles sobre vida antes de sucesso na música gospel
Festival Promessas celebra música evangélica no Rio de Janeiro

 Mundo Jovem
'Não mudamos o visual', diz Pe Lu sobre fase menos colorida do Restart
Em clima de histeria, Justin Bieber faz primeiro show no Brasil

Todos direitos reservados a EdsonPaim.com.br ®2010 | Desenvolvido por Dathus.c.rocha